bruxismo

Bruxismo e o uso da toxina botulínica

Bruxismo e o uso da toxina botulínica

Toxina Botulínica tornou-se um recurso terapêutico indispensável tanto na Odontologia quanto na Medicina. Utilizada há mais de 20 anos na área da saúde, a Toxina Botulínica também proporciona diferentes resultados terapêuticos nas diversas especialidades da Odontologia. Na DTM, Ortodontia, Prótese Dental, Implantodontia, Dentística, Pacientes Especiais, Periodontia e principalmente Estética Dental, a Toxina Botulínica proporciona controle do bruxismo primário e secundário ou da contração muscular indesejada. Desta forma, corrige sorriso gengival, dores de cabeça tensionais, protege os dentes contra fraturas e muito mais.

O QUE É BRUXISMO?
É o habito de ranger ou apertar os dentes durante o sono ou em vigília.

CAUSAS
Ocorre em pessoas de todas as idades e geralmente está relacionada ao alto nível de estresse emocional. Nas últimas décadas, o aumento do uso de alguns antidepressivos tem contribuído para o aumento da incidência do bruxismo conhecido como secundário e agravamento dos seus sinais e sintomas.

CONSEQUÊNCIAS
O bruxismo pode causar desgaste nos dentes, agir como um dos fatores frequentes de dor de cabeça, dores na musculatura mastigatória, estalidos nas articulações, perdas ou formações ósseas na mandíbula ou maxila.

TRATAMENTO
Hábitos como mascar chicletes, morder ou apertar objetos devem ser eliminados durante o tratamento porque agravam o quadro muscular. Uma terapia paliativa, ou seja, que melhora ou alivia momentaneamente o problema, empregada para o bruxismo, é a utilização de placas acrílicas que protegem os dentes dos desgastes provocados pelo hábito.

Atualmente existem novas abordagens para o controle do bruxismo como a Toxina Botulínica. Consulte seu dentista e lembre-se que ele é o profissional mais indicado para fazer o seu diagnóstico e tratamento.

Luciana-VasconcelosDra. Luciana Vasconcelos
Rua Rio de Janeiro 314,sala 305
Poços de Caldas MG.
Telefone: 35 3721-1977

Aparelhos ortodônticos para crianças

Aparelhos ortodônticos para crianças

Os aparelhos ortodônticos específicos para crianças são simples, de fácil adaptação e remoção quando feitos por um especialista em Ortodontia. Eles podem prevenir muitos problemas de mau posicionamento dos dentes, falta de espaço e até evitar o uso de aparelhos fixos no futuro. Esses aparelhos preventivos podem ser colocados mesmo que ainda existam “dentes de leite”. Quem explica mais sobre o assunto é o Especialista em Ortodontia Dr. Jean Benetti.

“Os primeiros ‘dentes de leite’ costumam aparecer entre 6 e 8 meses e é quando a primeira consulta ao dentista odontopediatra ou ortodontista é feita para orientação. Nesse momento vamos orientar como deve ser feita a higiene bucal. Nesta consulta com o ortodontista, conseguimos ter uma prévia de como serão os dentes dessa criança. O ideal é que os dentes decíduos tenham espaço entre eles, pois são menores que os dentes permanentes. Quando eles são muito próximos, já sabemos que não haverá espaço para os permanentes, que certamente nascerão com algum tipo de desalinhamento se nada for feito para prevenir”.

O número de pais que tem levado seus filhos, ainda bebês, ao dentista odontopediatra e ao ortodontista está aumentando a cada dia. “Os pais já se preocupam com a dentição da criança desde cedo. Muitos observam se estão tortos ou não, se são muito próximos ou espaçados, e se já é possível planejar com o ortodontista alguma intervenção”.

Existem vários tipos de problemas que podemos diagnosticar e tratar nesta fase, como por exemplo, uma criança classe III. Classe III é o nome técnico dado aos casos em que o paciente tem a mandíbula (o queixo), mais para frente, fazendo com que os dentes de baixo fiquem na frente dos dentes de cima, mordendo de forma invertida (mordida cruzada anterior). É comum também ocorrer o contrário, o queixo ser bem menor e ficar muito para dentro, provocando uma mordida de classe II, em que os dentes superiores tem um grande destaque, aparecendo muito mais. Em ambos os casos há prejuízos à saúde bucal e à estética, sendo, portanto, necessária uma análise bem-feita para correção da maloclusão.

Outro problema muito comum é a arcada superior muito fechada (gerando mordida cruzada posterior) e/ou quando a mordida é aberta (quando os dentes superiores não encostam nos inferiores, mesmo quando a criança morde). Isso normalmente ocorre quando a criança faz uso da chupeta após os 2 anos de idade, chupa dedo ou utiliza a mamadeira como bico. Outros fatores que também deve ser levados em consideração são: a genética, o fato de se respirar só pela boca ou ter deglutição incorreta. A correção se dá com o uso de um aparelho preventivo móvel ou fixo no céu da boca, a partir de 3 anos de idade. O objetivo desse aparelho é abrir a arcada dentária da criança, criar espaço para os dentes permanentes e corrigir a mordida aberta e, no futuro, pode evitar ou diminuir o tempo de uso do aparelho fixo corretivo. A indicação para tratamento fonoaudiólogo é muito comum nestes casos.

Vale lembrar que esses aparelhos devem ser colocados antes da fase final do crescimento da face da criança. Na menina a face e a arcada dentária crescem até pouco tempo depois da primeira menstruação. Já no menino o crescimento ocorre até uma fase mais tardia.

Os aparelhos ortodônticos preventivos melhoram a fala, a respiração, a alimentação e a deglutição, evitam ou reduzem problemas de ronco. Além de todas essas vantagens, o tratamento é rápido, durando de 6 a 12 meses em média.

Saiba mais:

bruxismo-e-apertamento

Bruxismo e apertamento dental na criança!

O Dr. Jean Benetti, que também fez mestrado na área de Disfunção Temporomandibular, esclarece que esta é uma situação bastante comum nos adultos, mas que pode acometer também as crianças.

Os pais se assustam muito quando percebem que os filhos passam a “estalar” os dentes ou ranger enquanto estão dormindo. Na criança isso pode ocorrer por vários motivos, como verminose, adenoide, estresse, perfeccionismo, ansiedade, competitividade na escola ou entre irmãos, crianças que nasceram com baixo peso e que tendem a ser alérgicas.

Nesses casos indicamos a procura de psicólogos, acompanhamento pediátrico e o uso mais intenso de aparelhos desoclusores de expansão, que servem para evitar o toque e desgaste entre os dentes. A placa que os adultos usam não serve para a criança, pois durante o crescimento da arcada dentária as placas se desadaptam.

dr-jean-benettiDr. Jean Benetti

– Especialista em Ortodontia;
– Mestrado em Disfunção da ATM e Dor Orofacial;
– Extensão em Orofacial Pain – Aarhus University – Dinamarca;
– Especializado em Odontologia do Sono – Tratamento de ronco, apneia e bruxismo;
– Professor da Especialização em Ortodontia – Escola Santa Rosa, Poços de Caldas MG;
– Professor da Especialização em Ortodontia – UNINCOR, Três Corações MG;
– Professor da Especialização em Disfunção da ATM e Dor Orofacial – UNINCOR, Três Corações MG;
– Membro do Grupo de Estudos Ortodônticos Straight Wire Brasil;
– Membro da Associação Brasileira de Ortodontia e Ortopedia Facial (ABOR);
– Fellow of the World Federation of Orthodontists;
– Habilitado nos sistemas de alinhadores dentais invisíveis;
– Habilitado nos sistemas de aparelhos autoligados.