ansiedade

Terapia Comportamental Cognitiva – TCC

Terapia Comportamental Cognitiva – TCC

AneliseA forma como pensa  é como se sente?

A Terapia Comportamental Cognitiva, mais comumente conhecida como TCC, tem se popularizado como um tratamento eficiente e de resultados duradouros para vários tipos de problemas psicológicos.

A TCC tem por foco a forma como as pessoas pensam e agem no seu dia a dia, e trabalha para ajudá-las a superar seus problemas. Sua abordagem é direta e clara, conseguindo um resultado mais rápido e efetivo. É uma abordagem lógica e prática para ajudar pessoas a superarem seus traumas, fobias, ansiedades, depressão, transtornos alimentares, transtornos de aprendizagem dentre tantas outras áreas de atuação.
As formas como você pensa e sente determinam a forma como você vai agir em determinadas situações. Se esta se sentindo para baixo, deprimido, provavelmente irá se esconder e se isolar de todos. Se estiver ansioso, talvez evite situações que acredita serem ameaçadoras ou assustadoras para aquele momento. Seu comportamento pode ser seu pior inimigo de diversas maneiras, causando cada vez mais transtornos e piorando suas emoções, como por exemplo:

– Comportamentos autodestrutivos, como comer em excesso e usar medicações, bebidas alcoólicas, drogas, ou qualquer outro escape para diminuir sua ansiedade, podendo causar prejuízos físicos como alergias, quedas de cabelo, cirrose, etc.

– Comportamento esquivo e humor depressivo, ficar na cama o dia inteiro ou manter distancia de amigos, não querer fazer nada ou não sentir vontade de nada, isso só aumenta a sensação de tristeza e isola cada vez mais a pessoa, e dependendo do caso, no dia seguinte a pessoa se sente péssima por “ter perdido um dia”.

– Comportamento de evitação, a pessoa evita situações que considera ameaçadoras, como falar em publico, ligar para um consultório medico agendar uma consulta, não sai de casa sozinho, acaba por se privar de varias oportunidades, e fica com remorso e se pega pensando em como teria sido se tivesse feito isso ou aquilo.

A TCC entra para nos auxiliar em quebras de condicionamentos tido como negativos/errados, corrigindo-os e nos libertando de prisões que impomos a nós mesmos.

Algumas áreas de atuação da TCC:

Transtornos alimentares, atuando diretamente em controles de condicionamentos passados que atrapalham o alcance de metas;
Transtornos de aprendizagem, atuando em alterações de comportamentos que bloqueiam a performance do cliente frente a aprendizagem;
Fobias (medos), atuando em controle de ansiedades causadoras dos medos e fobias especificas, por exemplo, locais fechados, medo de dirigir, etc;
Ansiedade, trabalhando de uma forma a auxiliar no auto controle e situações causadoras da ansiedade;
Depressão, entendimento dos reais motivos que causam a sensação de tristeza extrema e falta de vontade;
Orientação vocacional e profissional, não atua com aplicação de testes, visa a analise do perfil geral da pessoa, auxiliando a se recolocar em ambiente de trabalho, escolha do curso ideal para o vestibular e sucesso na profissão;
Problemas de relacionamento, términos são sempre difíceis de serem superados, a TCC entra para auxiliar nas percepções e aceitação do fato e superação.

anelise-oliveiraAnelise Oliveira

-Graduada em Psicologia – UNIMEP 2008
-Atua com abordagem comportamental cognitiva
-MBA em Gestão de Pessoas – UNIFEOB 2010
-Psicóloga Perita Examinadora de trânsito – UNAR 2009
-Ferramentas de Diagnósticos, Avaliação de Potencial, Desempenho, Tipos de Treinamentos e Validação de T&D – INPG 2012
-Gestão de Criatividade e Inovação Pessoal e Gerencial – INPG 2012.
– Diretora da Clinica Essencial
– Professora convidada do SENAC São João da Boa Vista
– Palestrante em diversas escolas e instituições

A acupuntura e seus benefícios no tratamento da ansiedade

A acupuntura e seus benefícios no tratamento da ansiedade

Coração acelerado, boca seca, vontade de chorar, ganho de peso. Estes são alguns dos sintomas da ansiedade. Este transtorno normalmente é resolvido com medicamentos alopáticos, porém existem tratamentos alternativos, e um dos principais é a acupuntura, tanto sistêmica quanto a auricular.

O organismo reage ao estímulo do estresse, geralmente aumenta a pressão arterial, frequência cardíaca e afeta o sistema imunológico, sistema nervoso e endócrino, responsável pela produção hormonal.

Por que tratar a ansiedade?
A ansiedade se não for tratada pode causar:

* Aumento de peso, inclusive chegando à obesidade;
* Vontade incontrolável de comer, de forma compulsiva;
* Roer unhas;
* Dor de cabeça frequente e forte;
* Problemas no estômago;
* Cansaço extremo;
* Insônia;
* Prejudicar a qualidade de vida, autoestima e a saúde.

Os efeitos do tratamento por Acupuntura
A acupuntura, por meio de estímulo pelas agulhas e outros instrumentos, em pontos específicos do corpo, produz uma série de reações locais e sistêmicas, resultando no alívio dos sintomas de forma imediata ou progressiva.
As ações da acupuntura são pela via nervosa, onde há a liberação de substâncias como a endorfina, dopamina e serotonina em várias regiões do cérebro, resultando em efeito de analgesia, calmante, antidepressivo, relaxamento muscular e outros já comprovados em muitas pesquisas científicas.

O tratamento de acupuntura para o estresse e suas manifestações sistêmicas e psicológicas é bastante satisfatório e não há efeitos colaterais. Em geral, aplica-se uma vez por semana e em caso de dores musculares, o paciente já sente alívio logo após a primeira aplicação.

A acupuntura como coadjuvante no processo de emagrecimento
A acupuntura contribui muito no processo de emagrecimento, pois trabalha pontos e órgãos que estão relacionados direta ou indiretamente ao controle da fome, compulsão alimentar, equilíbrio hormonal ou até mesmo aos níveis de glicose no sangue.

A auriculoterapia como um método adjuvante:
A acupuntura auricular é uma técnica que estimula os pontos através de sementes, agulhas ou cristais que são inseridas na orelha do paciente. As sessões são realizadas semanalmente e o paciente já apresenta melhora na primeira sessão. Esta técnica é muito utilizada no tratamento da ansiedade, insônia e perca de peso, proporcionando uma agradável sensação de bem estar.

stephanie-della-testa-marques

Stephanie Della Testa Marques

Farmacêutica generalista;
Especialista em acupuntura sistêmica e aurícular;
Formação em estética corporal e facial;
Acupuntura sistêmica e aurícular;
Drenagem linfática;
Heccus;
Peelings mecânicos e químicos;
Luz intensa Pulsada;
Depilação definitiva.

Falando Sobre Ansiedade

Falando Sobre Ansiedade

O que é ansiedade?

A ansiedade é um processo físico e mental desencadeado em situações de medo, receio, diante do desconhecido e em momentos de tensão emocional na ocorrência de uma situação que gere tensão onde vai ser necessário uma adaptação do organismo a nova situação, quer ser ela positiva ou negativa.. Ela pode ser normal ou patológica.

A ansiedade normal trata-se de um sentimento de receio, aflição, com alterações físicas como taquicardia, sudorese, dilatação de pupila, tremores, etc. Os sintomas são autolimitados, direcionados a uma situação peculiar e são proporcionais ao risco envolvido. Todo mundo se sente ansioso em situações como: dia do casamento, tentativa de assalto, montanha russa, entrevista de emprego, alguma apresentação importante, etc. A ansiedade normal ajuda o ser humano, cria um ambiente cognitivo de apreensão salutar e de tomada rápida de decisões.

Ela se torna doença ou patológica quando passa a ser direcionada a situações comuns do dia-a-dia, ou quando é uma resposta absolutamente desproporcional ao risco, ou mesmo quando é mantida cronicamente e esta presente na maioria dos dias por 6 meses ou mais, prejudicando a vida e os afazeres diários do paciente. Seja como for, a doença é definida quando surge impacto na qualidade de vida da pessoa. Esse tipo de ansiedade limita a percepção e dificulta a tomada de decisões, evoluindo com restrição social e impactando negativamente diversos aspectos da vida da pessoa. Trata-se de distúrbios comuns (cerca de 10 a 20 % da população), um pouco mais frequente em adulto jovem com predomínio no sexo feminino e de ocorrência em todas as culturas conhecidas.

Quais são as causas mais frequentes de ansiedade?

A ansiedade pode se originar de traumas intensos, conflitos, fracassos ou estar acompanhada de outras doenças psiquiátricas, como depressão, psicoses, neuroses, etc. Pode também estar associada a doenças cardiovasculares ou respiratórias. O uso de alguns medicamentos também pode desencadear distúrbios de ansiedade, como no caso das anfetaminas. As drogas (cocaína, cannabis…) podem levar à ansiedade ou crises de pânico. As causas hormonais, como hipertiroidismo podem também provocar ansiedade. O consumo excessivo de bebidas que contenham cafeina, glutamato monofásico são causadores de ansiedade.

Quais são os sintomas de ansiedade patológica?

Os sintomas podem variar de pessoa para pessoa e dependem da gravidade. Nos casos mais intensos os sintomas incluem: palpitações, medo, suor, sensação de impotência perante adversidades, sentimento de perigo constante, tremedeiras, dentre outros. A ansiedade pode levar a uma depressão e outros males, como uso abusivo de drogas, álcool, medicamentos, dentre outros.

Psiquicamente a ansiedade crônica leva a um estado de apatia, desinteresse, desânimo e uma espécie de pessimismo em relação à vida.

Quais são as pessoas mais tem maior risco de desenvolver a forma patológica de ansiedade?

– Pessoas que passaram por choques intensos: acidentes, conflito, fracasso.
– Pessoas com familiares que apresentam a doença.
– Pessoas com histórico de abuso físico ou emocional durante a infância.
– Pessoas depressivas, neuróticas ou que sofrem de doenças como a esquizofrenia, por exemplo.
– Pessoas que sofrem de doenças cardiovasculares (com ou sem infarto)
– Pessoas com sistema respiratório frágil (asmático)
– Pessoas que abusam de medicamentos de tipo excitante (anfetaminas).

Como é o tratamento?

O tratamento passa pelo reconhecimento dos sintomas e busca de ajuda especializada. Ele é fundamental para não ocorrer complicações da ansiedade, tais como: insônia, obesidade, isolamento social, incapacidade ao trabalho, falência matrimonial, etc.

É dividido em: mudanças no estilo de vida e medicamentos.

Mudança no Estilo de Vida: Atividade física aeróbica regular, alimentação balanceada evitando álcool e estimulantes, atividades de lazer, medidas anti estresse, psicoterapia, etc.

A psicoterapia (com um terapeuta, psiquiatra, psicólogo) pode ajudar muito nos casos de ansiedade. É um encontro com uma pessoa especializada, onde o paciente fala sobre seus sentimentos, preocupações, relacionamentos, etc. O paciente pode encontrar novas maneiras de enfrentar as situações, ficando menos ansioso, além de poder aprender técnicas para reduzir a ansiedade.

O tratamento medicamentoso é altamente eficaz nos casos de ansiedade. Existem opções para uso imediato (tranquilizantes) e para uso contínuo (prevenção) que serão prescritos após a avaliação pelo médico especialista.
O importante é não se sentir constrangido em procurar ajuda, este é um problema comum, que pode afetar todos os tipos de pessoas.

Dr. Paulo César Pereira Negrão
Diretor responsável técnico
CRM 25989-MG

10+ As 10 doenças mais comuns no mundo corporativo

10+ As 10 doenças mais comuns no mundo corporativo

Rinite, alergia de pele e dor no pescoço. Um destes problemas de saúde já atrapalhou o seu expediente? De acordo com grande parte dos executivos, sim. Ao avaliar 15 mil deles, uma pesquisa da operadora de saúde Omint, mapeou como anda a saúde desses profissionais e quais foram as dez doenças mais comuns no mundo corporativo no ano passado. De acordo com o resultado, a rinite é a campeã. Quase 30% dos executivos entrevistados citaram o problema, enquanto 22,41% sofrem de alergia de pele, e 19,36% têm dores no pescoço.

A poluição é a grande vilã do sistema respiratório, diz Lívia Junqueira, diretora da MED OCUP e especialista em Medicina do Trabalho. “Mesmo em cidades de médio porte como Poços há um certo nível de poluição que se deve considerar. Por se tratar de uma cidade fria, as partículas ficam além de suspensas no ar, presas em roupas, cobertores e tapetes. As doenças respiratórias, como a rinite, são muito frequentes”, diz.

As dores no pescoço e ombros estão relacionadas à tensão, diz o também diretor da MED OCUP e Especialista em Psiquiatria, Dr. Cirineu Ferreira. “O estresse leva à contração muscular na região do pescoço e ombros”. Ele também conta que, quando especialistas em ergonomia visitam empresas, o número de correções de postura, posicionamento em relação ao computador, altura da mesa e da cadeira é enorme. “Do presidente à recepcionista, todos têm problemas e muitas correções ergonômicas precisam ser feitas”, explica.

O dado mais alarmante da pesquisa também está relacionado ao estresse e vem crescendo bastante entre os executivos. A ansiedade por exemplo, está na 6ª posição da lista. Se, em 2009, 14% dos executivos avaliados apresentavam sintomas da doença, em 2011, esse percentual chega a 18,20%.

O sentimento de ansiedade é comum, diz Dr. Cirineu, mas se começa a prejudicar as tarefas do dia a dia passa a ser classificado como doença. “O limite é quando a ansiedade começa a interferir nas atividades profissionais ou pessoais”. O percentual de executivos atingidos pela ansiedade preocupa, na opinião dele. “A ansiedade é a brasa que mantém aceso o fogo de outras doenças”.

Se a ansiedade cresce, por outro lado, a hipertensão tem diminuído. Em 2009, eram 10%. Passaram para 9,07%, em 2010, e agora somam 8,15% do total. O tabagismo também está em queda. Os indicadores de diabetes e colesterol alto seguem estáveis. Atingem 2,3% e 2,04% da população avaliada, respectivamente.

Confira na tabela abaixo as 10 doenças mais comuns no mundo corporativo e o percentual de executivos afetados por elas:
med-ocup

Excesso de peso
Os quilos a mais continuam a ocupar lugar de destaque no ranking, afetando quase um quinto dos executivos entrevistados. Os indicadores vêm se mantendo estáveis nos últimos 3 anos, mas isso não é bom. Segundo a pesquisa, a maioria dos executivos estão acima do peso ideal e menos da metade dentro do indicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo estudos, apenas 38,6% dos executivos têm Índice de Massa Corpórea (IMC), aceitável, acima de 25. Dentro desse universo, 18,99% são homens e 11,53%, mulheres. De acordo com a OMS, pode ser considerada obesa uma pessoa que tem IMC acima de 30.

Hábitos não saudáveis
A explicação para o fato de a obesidade ainda assombrar o mundo corporativo, está nos hábitos de vida dos executivos. Isso porque, a quase totalidade deles – 95,5% – assume que não tem uma alimentação saudável e quase metade dos executivos é sedentária. Além disso, 31,7% deles estão estressados.

Mas eles querem virar o jogo, de acordo com a pesquisa. A inclusão de pelo menos uma atividade física na rotina é objetivo de 37,7% dos executivos entrevistados. A pesquisa também revela que 44% pensam no assunto. Em relação à alimentação, 26,1% disseram que já estão adotando um cardápio mais saudável e 39% estão pensando em fazer isso.

“A intenção é nova e é crescente”, diz a médica. Mas, para ela, ainda é cedo para esperar uma melhora na próxima pesquisa. “O ritmo de vida agitado atual não permite a mudança de hábitos, é difícil”, diz.

Ela sugere que os executivos comecem com pequenas mudanças. “Se cortar manteiga da alimentação, já diminui o risco de doença cardiovascular em 50% em 10 anos”, explica.

Um hábito não saudável que está em queda é o tabagismo. Realizada há 7 anos, a pesquisa apontava em 2004 cerca de 18% de fumantes entre os executivos. Em diminuição gradual desde então, hoje os fumantes não passam de 12%. E a tendência é de queda ainda mais acentuada. “Entre as mudanças de hábitos, parar de fumar é uma iniciativa fundamental para quem almeja vida longa saudável”, diz Dr. Lívia Junqueira Ferreira.

drs-med-ocupDr. Cirineu A. Ferreira
CRM SP 47.507 / MG 23.951

Dr. Livia Helena Junqueira Ferreira
CRM SP 143.908 / MG 57.316

Rua: Assis Figueiredo, 1.222, salas 22 e 23.
Tel: (35) 3715-2844
Site: www.medocup.com.br
Email: medocup@medocup.com.br

Dr. Cirineu A. Ferreira
Diretor responsável técnico
CRM-MG 23.951