Frio e os Problemas Vasculares

Frio e os Problemas Vasculares

A patologia mais frequente pela queda de temperatura, principalmente durante o inverno, é conhecida como fenômeno de Raynaud. Essa condição clínica foi relatada pela primeira vez por Maurice Raynoud, médico francês (1834-1881).

Esse fenômeno é caracterizado por se manifestar por cianose, que é quando há uma coloração violácea das extremidades do corpo, causada pela diminuição da oxigenação nos pequenos vasos sanguíneos. Geralmente o paciente procura um especialista quando percebe sintomas como dores e palidez nas pontas dos dedos.

Raynoud acreditava que o fenômeno era causado por um exacerbamento da atividade da intervenção simpática. Porém recentemente, com métodos de diagnósticos precisos, a mensuração de atividades do nervo mediano era similar em pessoas normais e nas que sofriam desse mal. Atualmente, acredita-se que a causa seja uma ruptura da resposta termo regulatória dos vasos sanguíneos da pele e liberação anormal de moléculas vasoconstrictoras, como exemplo a endotelina.

A doença é mais frequente em mulheres jovens expostas ao frio e algumas vezes com problemas emocionais como estresse. Outros fatores também podem desencadear o fenômeno de Raynoud, é o uso de ferramentas vibratórias, marretas e outras que geram impacto. Além disso, o uso de medicamentos antialérgicos, efedrina, indicado para a perder peso (proibido no Brasil desde 2003) e epinefrina, usado em casos de asma, podem acarretar essa doença. Problemas como lesão nos nervos periféricos como as causadas pela síndrome do túnel do carpo, também facilitam o surgimento do fenômeno de Raynoud. Ademais, vale ressaltar que quem sofre de doenças metabólicas como hipotireoidismo estão mais suscetíveis a essa patologia.

O tratamento do fenômeno de Raynoud pode ser medicamentosa ou não, tudo vai depender do quadro em que o paciente está e da queixa que ele tem. A não medicamentosa consiste em orienta-lo sobre as causas que geram aquela situação. Sugerimos que ele evite o frio, que é a melhor maneira de prevenção de ataques agudos da doença. Aquecimento do organismo como roupas adequadas como meias, luvas e chapéus.

Quando o quadro é de dor aguda utilizamos a intervenção medicamentosa como vasodilatadores, como os bloqueadores de canal de cálcio como nifedipina, diltiazem ou anlodipina. Vale lembrar que esses medicamentos têm contraindicações e se prescrito para jovens podem desencadear hipotensão e eritrose, que causa vermelhidão no rosto. Uma gama de outros remédios que pode ser ministrada como cilostazol, sildenafil e fluoxetina. Porém esses métodos medicamentosos são destinados apenas a casos graves que não tem resposta com o início das medidas protetoras e se não tratados podem levar a gangrena ou ulcerações.

dr-richardson-fontellaDr. Richardson Fontella
CRM: 15451-MG

Especialista em cirurgia vascular pela SBACV

Doenças do aparelho circulatório
Cirurgias vasculares
Úlceras de pernas
Varizes
Pé diabético
Utrassonografia vascular